sexta-feira, 15 de abril de 2011

Ateísmo/Deísmo e Esquizofrenia

Somos todos ateus
Calma, antes de se sentir ofendido, posto que os ateus são os que mais sofrem preconceito no Brasil (acredite, ganha de homossexuais, negros e mulheres), o texto se refere ao fato de que, se acreditamos em um Deus de uma religião, não acreditamos nos Deuses de outras tantas, e isso nós torna ateus (nunca ouvi falar de alguém que tivesse mais de uma religião). O post é longo mas nos faz refletir. Digo sempre que Ciência e religião não se contradizem pois cada uma existe em um universo diferente, são incomparáveis, não entram em contradição pois são extremamente diferentes, linhas de pensamento paralelas (exagero). Realmente, colocar a culpa das desgraças do mundo nas costas de meros ateus e as maravilhas nas costas de Deus é muita covardia. O seu caráter não é definido pela sua crença deísta ou ateísta, mas sim na formação social e ética que você obteve durante a sua vida, e isso pode ser obtido se você tiver uma família bem estruturada. Acredito que as minhocas que colocam na cabeça das pessoas nos cultos não superam as benéficies morais que lá são pregadas. Existem ótimas pessoas deístas e ateístas, como também existem vários bandidos deístas e ateístas (há quem diga que ninguém na prisão se declara ateísta). Pense no assunto, o texto é bom e faz pensar, mas dificilmente vai mudar sua opinião, dado que esse assunto mexe muito com as emoções, parece que desenterra orgulhos profundos...

Repensando a esquizofrenia
Muito legal, o escritor é formado pela Unicamp também e escreve bem. O assunto é referente ao desligamento de doenças mentais de aspectos ligados ao ambiente. Exemplo: tentar tratar esquizofrenia com terapia seria de pouquíssima utilidade prática, bom mesmo seria uma ótima droga que conseguisse agir na raiz neuronal do problema, consertando os defeitos existentes nas sinapses dos neurônios. Ultimamente venho acompanhando o desenvolvimento de um tipo de demência senil na minha avó e vejo como pode ser triste visualizar a degradação de um cérebro que antes pode fazer tanta coisa, mas que agora está se esvaindo aos poucos. Algumas drogas realmente fazem efeito, melhoram um pouco sua condição, mas esse cérebro é tinhoso, quando ele não quer não há remédio que resolva. Torço muito para que possamos desenvolver drogas super eficientes para resolver problemas cerebrais e possamos ter uma qualidade de vida senil muito melhor no futuro. Quero ter 90 anos e dar de 10 a 0 na mulecada. Tomara!

5 comentários:

V_Bravo disse...

Fala Professor!

Fazendo um adendo ao teu comentário "há quem diga que ninguém na prisão se declara ateísta", sabias que, em pesquisa realizada por mim aqui nos sistemas policiais de brasília, quando comparamos o número de bandidos com tatuagem de Jesus e de Diabo, observamos uma estarrecedora (ou não) proporção de 10 para 1!!!!! Ohhhhhhhh!!!

Abração, meu rei! E parabéns pelo teu blog!

Vinícius Penteado disse...

Brigado meu
O problema é que tanto DEus quanto o Diabo são "espécies" de Deuses (seres com poderes além do alcance). Alguém que acredita em Diabo também seria considerado um deísta. Um ateísta seria aquele que não acredita em nenhum dos dois, podendo ser uma ótima pessoa ou um pária da sociedade
Um abraço
Continue aqui
Valeu

Vinícius Penteado disse...

Agora que eu vi que é você Victor, que legal que você entrou aqui.
Eu vi esse v_bravo me chamando de professor, fiquei imaginando que aluno era esse e depois descobri que era você. Trate de vir fazer visita e me avisar, porque eu não sou adivinho.
Um abração

Endrick P. M. Souza disse...

"[..]se acreditamos em um Deus de uma religião, não acreditamos nos Deuses de outras tantas, e isso nós torna ateus [...]"

Essa caracterização me fez pensar no seguinte: Sou "Poliateísta" rsrsrs.

Abraço!

Endrick S.

Vinícius Camargo Penteado disse...

Idem!
Valeu Endrick, pela visita e pelo comentário
Abraço