quinta-feira, 19 de julho de 2012

Cuidado com o engasgo! - O Refluxo Gastroesofágico

(Tá afim de conhecer nosso canal de vídeos? Sim? então acesse www.youtube.com/ibiomovies . Não?  pare de ser ranzinza e acesse mesmo assim, vai te ajudar a ficar mais feliz. Abraço)

Dose dupla de mim hoje. Talvez tripla, se eu estiver com humor favorável daqui algumas horas.

E desta vez o assunto é mais restrito, mas é alarmante, pelo menos com as minhas pesquisas (férias servem pra isso, não é?) sobre o assunto.

Eu presenciei, na noite do dia 15 de julho, uma crise de Refluxo Gastroesofágico. Foi legal, com exceção de uma coisa: quem teve a crise foi minha mãe. Ela engasgou de uma forma inacreditável, a ponto de ficar uns bons 50 segundos sem respirar, o que é bastante, levando em consideração a situação de desespero, no qual as células musculares e nervosas consomem o dobro de oxigênio e energia.

Eu acordei com um berro engasgado dela dizendo "Gu.. uu..!". Foi bem estranho. Se alguém aqui já acordou com um grito de alguém te chamando por questões de saúde, sabe o que é acordar pensando que está em uma descida de montanha-russa, ou mesmo pulando de pára-quedas. Quando a vi de pé, nos braços do meu pai, tão branca e com os lábios arrocheados a primeira coisa que pensei foi em dar uma joelhada no diafragma dela, só sabia que seja lá o que fosse que estivesse na laringe dela, tinha de sair. Então, um pouco mais consciente e menos agressivo, eu, com a ajuda de meu pai, pressionamos o abdômen dela e ela conseguiu tossir aquilo que a estava impedindo de respirar.

Era um fluido estranho, meio avermelhado, mas nitidamente não era sangue. Era puro muco gástrico com um pouco de quimo. O engraçado da cena era eu agaixado para ver o muco de perto, enquanto meus pais (minha mãe já estava um pouco melhor) olhavam pra mim pensando "que menino idiota...".

Levantei e me lembrei de algo que tinha visto bastante no início deste ano. O tal do Refluxo Gastroesofágico. Tentei explicar para eles o que tinha acabado de acontecer, mas como sempre, ninguém quer saber da ciência da coisa em um pós-crise (o que eu acho um absurdo: se eu passo mal, eu passo mal duas vezes se eu não descobrir o que eu tenho).

Mas o que aconteceu é o seguinte.

O Brasil está crescendo economicamente. Sua economia no cenário global é bem relevante. A classe média está ganhando mais e tendo melhores condições de vida. Os ricos estão cada vez mais ricos, e os pobres estão conseguindo ultrapassar esta condição (óbvio, que nisto tem juízo de valor regional, digno do centro-sul brasileiro, mas existem exceções, e muitas). Com isso, as pessoas passam a se alimentar melhor. Mas, quando digo "melhor", não digo em qualidade, mas sim em quantidade.

Vêm crescendo os índices de sobrepeso no Brasil a ponto de sair em jornais textos como "O Brasil está ficando gordo", e tudo mais.

Com a elevação dos índices de sobrepeso na população, vêm junto as complicações clínicas referentes a isto, como a hipertensão e o diabetes. Os fabricantes de ENO, Mylanta Plus, dentre outros antiácidos ganham mais, assim como os vendedores de Herba Life, e outros meios de emagrecimento.

A acidez estomacal é algo comum e necessário. O estômago é um órgão do sistema digestório humano responsável por parte majoritária da digestão de proteínas, transformando-as em polipeptídeos menores ou até mesmo dipeptídeos, dependendo da trituração mecânica que o alimento sofreu na boca, o que aumenta sua superfície de contato e portanto aumenta a eficiência das enzimas digestivas. A principal destas enzimas, a pepsina, é produzida por células da mucosa gástrica na forma de pepsinogênio, que é simplesmente a pepsina em uma forma inativa.

O contato de um alimento com a boca do indivíduo desencadeia uma série de reações bioquímicas que levam a mucosa gástrica a produzir um hormônio, chamado gastrina, que estimula as células parietais da mucosa a produzirem ácido clorídrico (ou muriático, para os mais chegados em química), que é um ácido forte e portanto permanece em sua forma ionizada, liberando íons hidroxônio (H3O+) diminuindo o pH do estômago, ou seja, aumenta a acidez do estômago.

Para quê tudo isso?

O pepsinogênio só é convertido em pepsina pela baixa do pH estomacal. Em outras palavras, as enzimas no estômago só digerem as proteínas do quimo (mistura de enzimas + alimentos íntegros + alimentos parcial ou totalmente digeridos) se o estômago estiver ácido.

"AH! Por isso que mascar chiclete constantemente dá gastrite e asia?". É por isso mesmo.

"E o que isso tudo tem a ver com o Refluxo Gastroesofágico?"

As pessoas naturalmente sentem sono no pós-refeição, justamente pela concentração do sangue nas regiões dos intestinos, diminuindo o fluxo no cérebro e consequentemente causando sonolência. Muitas vezes, depois das refeições, as pessoas dormem, e dormir de estômago cheio é bom, mas é perigoso.

A digestão de proteínas libera gases, que aumentam a pressão interna do estômago. Ao se deitar, ou mesmo por causas genéticas ou congênitas, a pressão que os gases e o quimo no estômago exercem no esfíncter gastroesofágico (válvula que separa o esôfago do estômago, impedindo a troca de material deste para aquele) fazem com que este ceda, levando este material ácido para o esôfago. A sensação é de dor peitoral, afinal, a mucosa esofágica não é especializada em reter antígenos ácidos por muito tempo. O material ácido sobe, devido à diferença de pressão, até chegar à epiglote (válvula que com auxílio do bulbo raquidiano, no cérebro, seleciona o que passará pelo esôfago - os alimentos e líquidos - e o que passará pela laringe - o ar para os pulmões). A epiglote, em contato com esse material ácido, fecha a entrada para a laringe, para impedir a entrada deste nos pulmões. Acontece, que ao ter a laringe fechada, o indivíduo não consegue respirar também.

É um tanto ridículo dizer isso, mas isso mata mais gente do que acidente de bicicleta. A negligência destes tipos de doenças acaba sendo trágica às vezes.

Então, a você, gordinho(a) de plantão, e aos outros também, tomem cuidado com o sono pós-refeição. Se obtiver algum desses sintomas, consulte um médico. Medicamentos como Omeprazol, ou mesmo antiácidos mais comuns são receitados com frequência, e auxiliam na minimização dos sintomas do refluxo.


Engasgar é coisa séria. Se estiver sozinho em casa, e acabar engasgando, seja por refluxo ou por qualquer outra besteira, mire seu diafragma na quina de sua mesa, e se jogue com toda a força. Mais vale uma costela quebrada do que morrer engasgado.

Para quem quiser se informar melhor, e por um médico já formado, e há muito tempo, recomendo este link aqui, do Dr. Drauzio Varella, dizendo um pouco mais sobre o assunto.

19 comentários:

Vinícius Camargo Penteado disse...

Eita ferias frutíferas

Ana Maria disse...

E qual o tratamento para evitar esses engasgos?

Gustavo Lepore disse...

Olá Ana Maria!

Visto que o refluxo gastroesofágico é uma complicação do excesso de ácido na cavidade gástrica, o tratamento é simplesmente o controle dessa acidez via medicamentosa (hidróxido de magnésio, simeticona, e mais comumente, o Omeprazol). Para esse tratamento, é imperativo visitar um médico, que irá orientar e prescrever os medicamentos.

Alguns cuidados devem ser tomados também, como evitar o desjejum logo antes do sono, e posicionar a cabeça a aproximadamente 30º em relação ao plano da cama (um bom travesseiro vem a ser útil) quando for dormir.

Obrigado pela visita, e espero ter ajudado. Um abraço.

Andreza disse...

Adorei a postagem. É comum termos alguns problemas e já pesquisar no Sr. Google, apesar de muitas vezes nos dizerem que isso é errado, que a cabeça é quem funciona, que se ficarmos pensando acontece, e blá blá blá... prefiro manter-me informada, ao ficar martirizando um problema que acomete muitas pessoas, e até a saber como reagir diante de um engasgo mais complexo. Comecei o tratamento hoje, então parece que a cada cinco minutos me falta ar e não consigo 'engolir a saliva'. Ô coisa chata. Mas lá vamos nós, eu e minha consciência, trabalhar em prol da máquina humana que utilizo na Terra. Espero que sua mãe tenha melhorado!

Um abraço,

Monica Daniel disse...

Nossa! Muito legal a sua explicação. Aconteceu o tal do engasgo essa noite com o meu namorado (33 anos e acima do peso), a muito tempo não acontecia, mas fiquei assustada pois demorou de voltar! O pior de tudo é que depois de umas 3 horas ele vomitou e teve um febrão de 39! Já falei para ele procurar um médico...quem sabe dessa vez ele fique convencido. Grande abraço. Monica Mirassol/SP

Gustavo Lepore disse...

Pois é...
Minha mãe desenvolveu uma hérnia de hiato que aumentou a frequência das crises de refluxo. Provavelmente é por causa do seu peso um pouco acima do recomendável. A gordura abdominal promove uma pressão no diafragma e consequentemente acaba por aumentar o "calibre" da base de esôfago. O gastrologista não pode operar porque o protocolo para a realização da cirurgia é para hérnias com 6 cm de diâmetro ou mais. O problema é que ela possui sintomas acentuados. Eu e meu pai ficamos atentos agora, toda noite, pra socorrê-la caso ela tenha mais uma crise como essa do post, que foi bem feia. Mas ela está tomando as medicações e isso tem amenizado muito seus sintomas.

O negócio é ter consciência de que nós somos um saco de matéria que pode dar defeito. Temos que nos cuidar. Força aí com seu tratamento, e melhoras!

Abraço!

Vanessa Lima disse...

Estou tendo esse sufocamento, ja tive 5 ...e os medicos nao estao dando o valor no 1o. quase morri fiquei muito tempo sem respirar, moro sozinha estou muito preocupada, estou medicada com o dobro das miligramas e mesmo assim aconteceu o engasgamento. Preciso fazer a endoscopia mas precisa ficar 8 horas de jejum absoluto e eu preciso tomar agua bem seguido para nao secar a minha garganta e causar o afogamento. Ja desmarquei 2x os exame nao sei qdo vou conseguir fazer, e o medo da anestesia e o pos exame sem beber agua por muito tempo. Nossa nao consigo dormir de medo de afogar e bebendo agua a noite toda. Vanessa

Anderson Miranda dos Santos disse...

Boa noite! Fiz laringoscopia devido a uma tosse que tenho a mais de um mês. Disseram que eu estou com refluxo gástrico e a doutora me receitouoreceitou tomar  Esomeprazol durante um mês, só que só vem 28 comprimidos na cartela e é muito caro. Sabe me dizer se nas farmacias das UPAs eu consigo? Ou em farmácia de hospital publico não fornece este tipo de medicamento?

Luciana Santos disse...

Nossa eu estou tendo este problema..
Ontem acordei as 3 da manhã sem ar.. Demorei para voltar e achei que ia morrer sem ar.. Tenho um bebê de 3 meses e até acordei ele com todo o barulho que fiz.. Tem como evitar esses engasgos? Eu estou com um pigarro faz tempo depois de uma tosse alérgica que durou mais de uma semana.. será que o meu problema é algo alérgico.. Estou com medo de dormir depois disso.. Alguém pode me ajudar...

Ivana Ronzella Bassan disse...

Engasgo com muita frequência, até com a minga propria saliva. Pq?

Lídia Klg Costa disse...

Muito útil seu post, ontem meu marido teve um engasgo desses e fiquei muito assustada, é como você disse, acordar atordoada e assustada, sem saber exatamente o que esta acontecendo, é tenso!

Vinícius Camargo Penteado disse...

Vanessa, Anderson, Luciana, Ivana e Lídia. Muito obrigado por visitar o post e deixar comentários. O melhor que voces tem a fazer num caso desse, se ele persistir, é procurar um médico, ele vai saber te orientar. O mesmo com relação a medicamentos e tratamentos para o problema. Um abração

Santos disse...

Olá bom dia. meu nome e Rilton tive esse sintoma e fiquei assustado. sua postagem foi esclarecedora muito obrigado e um bom dia.

Amanda Silva disse...

Boa dia. Recebi o diagnóstico de refluxo laringo-faríngeo há 5 anos por 2 otorrinos. Ao longo destes 5 anos, passei por esta mesma situação que sua mãe passou (acordar sem respirar e permanecer assim por +ou- 30 segundos) umas 5 vezes. É desesperador. Já faço tratamento com a dose mais elevada de esomeprazol e sigo TODAS as recomendações do meu médico, mas ainda sinto muito muco concentrado na garganta constantemente. Tenho medo de dormir e acontecer novamente. Meu médico disse que, além do refluxo, posso ter uma doença rara em que a garganta produz enzimas digestivas. Você sabe qual pode ser esta tal doença?

Dicarlos Design disse...

Olá,
Já faz 4 meses que venho sofrendo com esse problema de reflexo e o pior de tudo é que não sou gordinho...
Não consigo respirar, engasgo com a própria saliva e não consigo engolir essa saliva, cuspo muito e a noite percebo aquele muco vermelho.

Anônimo disse...

Muito eficaz sua informação ,hj iniciei meu tratamento com dois medicamentos passados pelo medico apos uma decada sofrendo desta doença acordando durante a noite com crises de falta de ar em seguida vômitos tonturas e suor , e ter que ir direto para o P.S ser medicado com plasil e dramin. O pior que desencadeou trauma quando vou dormir ,pois ate hj durmo somente com o braço elevando a cabeça para evitar a crise e nao consigo em outra posição a qual me causou dores musculares nos ombros. Mas acho que agora vou poder dormir sem medos ... Se Deus quiser!!!

Vanessa Paulo Zanon disse...

Olá, meu nome é Vanessa!
Nas ultimas semanas estou acordando a noite com tosse e engasgada. Porém durante o dia passo bem apanas tusso um pouco, mas nada comparado com a noite. Tudo começou com uma tosse seca tomei remédios para asma e alergia mas nada. Estou preocupada não sei mas o que fazer.

Anônimo disse...

Eu tive essa falta de ar agora a noite, depois de muitos meses sem acontecer , eh assustador, já" quase matei minha esposa de susto" a noite, ela ficou traumatizada e eu achei que ia morrer , sufocado sem conseguir respirar. Ja tinha percebido a relação disso com o refluxo por problemas na digestão a noite, mas ontem não senti nenhum desconforto antes de dormir.obrigado por me esclarecer. Eduardo

Anônimo disse...

Olá pessoal já tive isso é terrivel mesmo... Bom o que fiz e ajudou muito é dormir com no minimo 02 travesseiros e se janta a noite é melhor maneirar e evitar liquidos junto com o jantar...tomar 1 comprimido de omeprazol pelo menos uma vez por semana...comigo deu certo espero ter ajudado