segunda-feira, 11 de abril de 2011

Criacionismo

A persistência do anti-evolucionismo na América
Taí um trabalho cheio de dados interessantes. O que mais me chamou a atenção foi o fato dos judeus serem mais a favor do ensino da evolução que os ateus. Incoerente? Sei lá, alguns outros dados incoerentes também não foram explicados pelos autores. Como é que pode haver um debate sério nos EUA sobre criacionismo na escola. Não existem as escolas dominicais, ora pois. Será que as beatas, algumas verdadeiras santas, nada contra, cansaram de ensinar. Essa técnica vil de querer mostrar o criacionismo como ciência é balela. Ciência é baseada em evidências, o evolucionismo tem seus problemas, mas eles nem se comparam com a total falta de evidências do criacionismo (livros subjetivos e cheios de incoerência não contam). Um palestrante que defendia o design inteligente fez a seguinte comparação filosófica: "se as palavras são escritas com letras, e elas foram inventadas pelo cérebro humano LOGO apenas uma inteligência poderia criar o DNA, já que ele também é formado por "letras" (ATCG)". Pode?

4 comentários:

Paula disse...

" Seu Deus nao existisse, teriamos que criar um deus para poder explicar detalhes que jamais foram explicados".. Ja dizia o grande filosofo Voltaire!
( Paula Martins)

Vinícius Penteado disse...

Oi Paula
Brigado por visitar o site
E isso mesmo, Deus é uma ideia, uma criação do homem para se confortar num mundo tão incrível e mirabolante. Quando não conseguimos entender alguma coisa temos que refugar. E Deus é ótimo para isso. Acontece que algumas pessoas durante milênios usaram essa ideia para dominar e subjugar os outros. E aí entra o grande problema, o lado ruim da ideia Concordo com quem diz que Deus é Amor, para essa definição sou totalmente a favor, sou cheio de Deus. Agora querer levar o conceito para as escolas como algo cientifico já é um pouco demais.
Não deixe de visitar o blog, adorei
Um abraço

≈ ♥₤μιzιnhα♥ disse...

Esse assunto é extremamente repercutido exatamente pelo fato dessas coisas religiosas serem muito pessoais, para cada um há um significado próprio e distinto da definiçao de Deus. Por exemplo,no meu caso, sempre estudei em uma escola catolica, apesar de nao ser cristã e sim budista. E tambem nunca fui totalmente devotada e segui ariscaa minha propria religião. Tudo pra mim é uma questao de escolha propria e acreditar no q faz com q nos sinta bem consigo mesmos, sem prejudicar os outros. Concordo com voce quando definiu Deus(criatura ou força superior) é uma idea q nós procuramos para explicar algumas coisas q nos parecem inexpicaveis. Talvez realmente precisamos dessa tal ideia para seguir em momentos dificeis na vida, para ter esperança, acreditar mais. Talvez por isso q a ideia ou compreensão de Deus esteve presente ao longo da história da humanidade por meio de várias concepções em todas sociedades e grupos já existentes, desde as primitivas formas pré-clássicas das crenças provenientes das tribos da Antiguidade até os dogmas das modernas religiões da civilização atual.
O fato é que tudo a respeito disso são suposições, em q cada pessoa escolhe entre seguir oq acha certo.
(Luiza Matsuzaki de Melo)

Vinícius Penteado disse...

Concordo Luiza (e gostei do seu texto)
Se a pessoas usarem essa crença pra fazer o bem e manter relações sociais que tragam vantagens não vejo mal algum. Só não me conformo com aqueles que, em nome de Deus, cometem as maiores atrocidades contra a vida em sociedade.
Obrigado por visitar o blog
Continue lendo e comentando
Um abraço