domingo, 29 de maio de 2011

Escorbuto

Scott e o escorbuto
Prepare-se para ler um post gigante, quase um capítulo, que vale cada linha! Sabe o escorbuto, aquela doença carencial com nome feio, ocasionada pela falta de vitamina C na dieta, que pode chegar a matar, aquela dos marinheiros com gengivas sangrando? Muito bem, existe um história muito complexa e legal, que vai desde trocar limões por limas, expedições polares e carne fresca. Não tinha notícia sobre os fatos surpreendentes que envolviam essa doença. Leia o texto inteiro (reserve uma meia hora para isso, você não se arrependerá). Além de ficar sabendo muito sobre algumas expedições polares, você também voltará ao assunto de que a verdade não existe, como já discuti aqui, e de que nem o mais gabaritado dos cientistas sempre fala a verdade, ele pode estar muito enganado, como na história do escorbuto em questão. Mesmo não sendo de propósito, sua falta de tato científico, seu contentamento com experimentos científicos pouco científicos e ainda a passividade dos outros cientistas fizeram com que inúmeras pessoas padecessem de uma doença que poderia ter sido evitada se vários olhos estivessem voltados com seriedade para isso. Pode ser que eu esteja sendo severo demais com os cientistas da época, mas acredito que quem se presta a realizar ciência, o que é muito difícil e que exige muito esfroço e uma paciência de Jó para fracassos, tem de fazer direito, e sempre duvidar da sua teoria, por mais doído que isso seja. Uma teoria é como um filho, e duvidar do filho com o objetivo de destruí-lo não é algo nem um pouco fácil. Não deixe de ler o post, você vai se espantar, é impressionante mesmo!


ps: esse maldito escorbuto ficou marcado na minha vida. Lá em 99, quando fiz vestibular para a Unicamp, uma das perguntas era exatamente essa: Qual o nome da doença causada pela falta de vitamina C? Pronto, me deu um branco, eu sabia que o nome estava lá no meu cérebro, que era um nome esquisito, mas não consegui acessar de jeito nenhum, era impossível. Aí cheguei em casa louco da vida, imagina perguntarem isso numa prova, e pra provar que ninguém sabia esse nome fui eu lá perguntar pra minha mãe. - Escorbuto! Que ódio, ela respondeu de primeira. Taí, depois disso nunca mais essa bendita dessa palavra saiu do meu vocabulário. Palavra decorada com ódio gruda na "alma".

4 comentários:

Ricardo disse...

Excelente post ! Muito interessante a matéria !
Abraço

Vinícius Penteado disse...

Valeu Ricardo
Agradeça ao ceticismo aberto
Um abração

Blog do Yô disse...

Onde está o post?

Vinícius Camargo Penteado disse...

Oi Yô, está no link em vermelho logo abaixo do título e acima do texto.
Leia pois é muito legal.
Abraço e obrigado pela visita