sábado, 28 de maio de 2011

Alma

Física e a imortalidade da alma
É isso, segundo as regras atuais da Física, a alma, como algo imaterial, que resguarda informações que ora estiveram em atómos e moléculas, não existe. Esse post explicita bem que toda a teoria de partículas moderna teria que estar errada (não que isso não seja possível) para que alma pudesse existir. Mas qual o grande problema de morrermos e simplesmente desaparecermos? Nós podemos continuar existindo na mente da pessoas queridas que deixamos, como memórias, ou ainda, de modo muito mais eficiente, através da ideias que deixamos e, quanto mais fortes forem, por mais tempo perdurarão na sociedade. Dá pra dizer que Darwin morreu? Lógico que não, ele está mais vivo do que nunca, e não estou falando de alma, me refiro ao fato de que não passamos um ano sequer desde sua morte sem discutir suas ideias, uma das mais fortes representações da sua vida. Muito provavelmente, quando eu morrer, não existirei mais, na verdade acredito que serei desligado e nem tomarei conhecimento de que existi um dia, justamente porque não existirei mais. Isso não me assusta, sou parte da natureza como todo o resto e morrerei como tudo que é vivo. Mas quem sabe eu consiga elaborar uma ideia muito forte e resista bravamente durante algumas centenas de anos nas conversas dos jovens do futuro. Pelo menos espero que meus amigos lembrem de algumas.

2 comentários:

Karin disse...

Mas seria muito fascinante termos uma equação para definir a alma! Ahahaha!

Vinícius Penteado disse...

Tem gente que acha que vê aura. Não é um equação mas é o mais perto que chegaram de alguma coisa.
Abraço