quinta-feira, 14 de julho de 2011

Salamandra com Alga e Pedrinhas de Oxigênio

Endossimbiose (foto)sintética
Quer dizer então que eu adorei essa história de biologia sintética? É isso mesmo, e achei um outro post muito legal, da mesma autora. Ele diz respeito as suas tentativas de criar um "animal fotossintético", algo que não existe na natureza. A ideia não é novidade, teve uma época que muita gente dizia que vivia de luz (já falei disso aqui), os líquens estão ai vivendo numa boa (são associações com  fungos, não animais, mas que conseguem se beneficiar dessa estratégia). E os experimentos são muito legais, um é injetar, em embriões de paulisitinha (zebra fish, um dos animais usados como modelo em biologia do desenvolvimento, junto com anfioxo, galinha e outros), cianobactérias, que são autótrofas, e ver se não era possível criar o tão famigerado animal sustentável. Não foi. Mas as minúsculas lá ficaram, infestando os tecidos do peixinho enquanto ele se desenvolvia, sem causar danos aparentes. Um estudo recente também mostrou que algumas algas podem invadir as células do embrião de uma determinada salamandra, mas sem causar benefícios ou prejuízos aparentes. Legal, né? Essa história de biologia dos sistemas ainda vai dar muito o que falar, os transgênicos já estão ai há anos, transformando totalmente a nossa vida. Olha só minha ideia então que doida: vamos criar insetos fotossintéticos e acabar com a fome no mundo! A gente já viu vários desses assuntos aqui, aqui e aqui, e provavelmente veremos de novo, esse é o futuro que já chegou.


Oxigênio sólido
E aí, tá afim de respirar Oxigênio sólido? Lógico que não, e quem é que vai seguir o Aopedavida? Nossos pulmões não suportam partículas sólidas, lembre-se da clássica doença dos mineiros, a silicose, quando seus pulmões vão perdendo a função devido ao estrago que a poeria aspirada causa. Esse post é só pra ver que ele também tem seu estado sólido, é difícil mas existe. Muito legal.

3 comentários:

GuH! disse...

Eu, faz pouco tempo, andei acompanhando uma pesquisa sobre animais fotossintetizantes que surtiu em um resultado incrível. Foi espantoso, mas um gastrópodo de um nome estranho aí, por protocooperação com cianobactérias, recebeu o título de "Animal capaz de realizar fotossíntese". O bicho não precisa se alimentar de maneira heterotrófica, como seus parentes próximos e longíncuos do reino "Metazoa", ele apenas absorve a matéria orgânica produzida pelas cianobactérias. Segue o link de uma foto deste organismo, depois se eu encontrar algo mais para corroborar eu trago! -> http://4.bp.blogspot.com/_OxQWxlnrG24/S6wLfp1DrnI/AAAAAAAAAB4/cTgHboVFvSM/s1600/lesma.jpg

Quanto ao oxigênio sólido, como toda matéria ele realmente pode tornar-se sólido, o difícil vai ser fazer ele ficar, afinal, ele é completamente instável! Mas seria uma boa, já ter meios de ir congelando oxigênio, pra já ir reservando bastante pras próximas gerações, porque me aparece cada ideia inescrupulosa para obtenção de energia que daqui a pouco eles (homens maus) vão acabar com nossas florestas e em seguida com nossas microalgas (Phytoplancton) e algas dos nossos mares e oceanos!

E eu tive o prazer de conhecer um senhor, já falecido, que foi mineiro e amigo do meu avô, que faleceu devido a um quadro de silicose pulmonar. Realmente o problema é devastador, a fisionomia e o astral do senhor era deplorável, mas ele era muito boa gente! É uma pena...
Vale frisar que a silicose pulmonar tem diversas causas! Particulas sólidas nos nossos pulmões? Nunca! Segue um link de um site com informações e fotos para aqueles que não conhecem o estado de muitos daqueles que extraem o carvão mineral, que muitas vezes abastece o fogo do seu churrasco de domingo: http://www.siticecom.com.br/nt03g.html

Grande abraço!

Vinícius Penteado disse...

Oi Gustavo, voce esta falando da Elysia, é um molusco citado no post original, mas ela não é autotrofa não. Apesar de viver em simbiose ela precisa comer algas para retirar delas os plastídeos (ela ate sintetiza enzimas da fotossintese, mas sem as algas não pode fazer nada). Se ela não se alimentar periodicamente dessas algas ela morre. Digamos que ela é um heterótrofo muito sortudo,
Toda doença é realemnte dificil, as pulmonares, em particular, são muito cruéis.
Valeu
Brigado pelo comentário
Abraço

Vinícius Penteado disse...

Procure sobre a Elysia chlorotica no Google Academics. Abraço