quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Planeta Estepe

Um "superterra" e uma oportunidade
Só tem um problema, a gigantesca distância, para chegarmos lá teríamos que descobrir um maneira de estagnar o funcionamento das nossas células, mantê-las inteiras e depois de algumas centenas de anos sermos capazes de voltar a usá-las como se nada tivesse acontecido, isso tudo voando num foguete a velocidade da luz. Impossível? Não sei, de fato não sabemos nada, mas já pensou que maluco um grande foguete, no qual as pessoas fossem todas "congeladas" por algumas centenas de anos, um foguete que se movimentasse com um combustível que ainda não foi inventado, mas que se reciclasse sei lá como. Chegando ao planeta elas teriam bem pouco com o que contar, teriam que começar tudo do zero. Tem um série nova que se chama Terranova, no qual uma turma é mandada para a própria Terra, só que há alguns milhões de anos, a ideia tinha tudo pra ser muito bem trabalhada, mas a série é chata de dar dó, eu já assisti 8 episódios só porque fui muito insistente. Mais louco ainda, mandar a turma pra lá e, daqui a 600 anos, os humanos terrenos não existirem mais, e ai a turma de lá não conseguiria se comunicar com a Terra, porque aqu9i não existiria mais ninguém!! Já to viajando muito aqui e nem estou em foguete algum, viaje com seu cérebro também.

Todos a bordo

2 comentários:

GuH! disse...

Ah vai, Terra Nova é legal sim! Haha, imagina ser um dos cientistas da colônia? Ser aqueles que guiarão a população para um mundo saudável? Eu viajo nessa série! Haha
E professor, tem um filme que é a cara disso aí que você falou, de congelar o homem para ir a um outro planeta e tudo mais, se chama "Pandorum". É meio chatinho, mas tem bastantes alienígenas. Ah, e tem Avatar também, mas quem nunca viu esse filme?

Grande abraço!

Vinícius Camargo Penteado disse...

Terranova infelizmente é chata mesmo.
Abraço